O problema está em você ou no mercado?

 

Personal-development-plan-template

Este texto é uma conversa franca, um desabafo fruto de reflexões pessoais. Conversa franca com você que de alguma forma tem tido problemas em arrumar um emprego novo, está com receios de ser demitido, ou ainda, desmotivado.

Volta e meia converso com pessoas que estão em uma das situações acima e sempre acabo chegando nos pontos destacados abaixo. Resolvi publicar pois certamente poderá servir para outras pessoas em situações semelhantes.

Será que o mercado que está ruim ou você que está ruim para o mercado?

Eu digo isto pois em tempos de crise você pode pensar que isto é um problema do país e acabar não percebendo que na verdade pode ser um problema apenas seu. É fácil descobrir, vamos lá:

  • Qual foi seu último desafio?
  • Como você resolveu?
  • O que aprendeu com ele?
  • O que faria diferente da próxima vez?

Se você não sabe as respostas, certamente o problema é você. Eu digo isso pois se você não tem desafios no seu dia-a-dia, é muito provável que você esteja na sua zona de conforto.

É confortável estar em uma posição onde você domina todas as suas atividades, realiza com destreza todas as novas demandas e usa seu tempo livre para ficar na internet lendo notícias, facebook, etc, afinal você batalhou para isso. Estudou, se qualificou, perdeu horas de sono talvez e agora chegou em um patamar onde você domina o que você faz, parabéns! Mas o problema agora pode ser exatamente este: você ter se tornado um funcionário padrão.

Sim, funcionário padrão. Aquele que chega no horário, cumpre suas tarefas com sucesso e no final do expediente vai pra casa com a sensação de dever cumprido. Mas sabe qual o problema nisso? O problema é que que funcionários “padrão” existem aos montes por aí. Você pode ter deixado de ser raro, afinal, você faz o que todo mundo faz.

O problema é ser um funcionário padrão.

Sabe o que acontece? Hoje você não pode mais ser um funcionário padrão. Se você faz o que todo mundo faz, por qual motivo você seria melhor do que outro? Por qual motivo escolheriam você e não outra pessoa? O que você faz além?

As empresas hoje estão de olho nos profissionais raros. Nos profissionais que têm visão de dono, que querem fazer a roda girar e crescer junto com a empresa. Se você é apenas mais um funcionário padrão, desculpe mas você está fora.

Você precisa ser aquele profissional que assume riscos e responsabilidades. Que lança uma idéia e se envolve em todos os processos necessários para que ela seja real e funcione. Aquele cara que pensa no coletivo e não apenas no individual. Que dá follow-up, que sabe motivar um colega, que chega junto para matar no peito e fazer gol, não pra divulgar seu nome, mas sua equipe, sua empresa.

Durante minha trajetória profissional, já trabalhei em empresa de tudo quanto é tamanho. Start-ups, empresas de pequeno, médio e grande portes, e uma coisa elas têm em comum: pessoas que nunca estão satisfeitas.

É verdade que existem empresas que são mal geridas, mal organizadas e com problemas pontuais que precisam ser resolvidos. Mas sabe qual o maior problema das empresas? As pessoas.

Em geral as pessoas insatisfeitas não usam sua insatisfação para o bem, apenas para o mal. Ao invés delas usarem sua insatisfação para se auto-motivarem, estudar coisas novas, melhorar seus skills, tornarem-se pessoas e profissionais melhores, elas se juntam umas com as outras para falar mal, reclamar e continuarem em suas zonas de conforto.

Corra na frente!

Na minha área de TI muita gente reclama que TI paga mal, que não tem emprego, etc, mas sabe qual o maior problema? Elas não saem das suas zonas de conforto e continuam fazendo o mesmo trabalho de sempre, fazendo o básico, que todo mundo faz.

Existem centenas de sites na internet ensinando tudo que você queira aprender em TI gratuitamente! Mas é incrivel como elas parecem que só conhecem a Internet para assistir Youtube, Facebook, etc. Enquanto isso, ficam esperando que a empresa pague um treinamento para ela…

Por favor, saia do lugar! O mercado hoje funciona diferente. Os grandes salários estão nas tecnologias emergentes onde não se encontra mão de obra especializada. Estou falando de Cloud Computing, Big Data, Analytics, Infraestrutura Ágil, Deployment, Gerência de Configuração, Orquestração de ambientes, DevOps, Software-Defined Infrastructure, Software-Defined networking, Content Delivery Networks, IaaS, PaaS, SaaS, etc.

Não fique esperando sua empresa pagar um curso pra você. Não espere sua empresa começar a usar determinada tecnologia para você ter interesse em saber o que é ou como funciona. Corra na frente, não corra atrás! Estude tudo que puder, se desenvolva, se destaque! Seja um profissional raro, fora da curva.

Pense nisso!

  • Dário Vitoriano

    Excelente post Ricardo! Um incentivo e tanto. Obrigado.

  • Altair Moura

    Excelente post Ricardo! Realmente existe muitas pessoa com esse perfil!

  • Alessandro Holanda Machado

    Não podemos esquecer o outro lado, a “Empresa Padrão”, que é aquela que incentiva o comportamento do “Funcionário Padrão”. Quem já não passou pela experiência de começar em um novo emprego com vontade de mudar o mundo, de resolver sozinho todos os problemas da empresa, de se dedicar até mais tarde e ainda levar trabalho pra casa, e depois de algum tempo se viu vencido pela resistência a mudança, pela mentalidade de “funcionário padrão” e de “gestores padrão” até o ponto de ele próprio se tornar um “funcionário padrão” ou ser um estranho no ninho.