Como é trabalhar onde tantos gostariam?

Hoje eu completo 3 meses na empresa onde estou trabalhando. Tem sido uma experiência incrível e muito além do que  eu imaginava que seria em todos os aspectos, seja em relação  ao ambiente, as pessoas, o trabalho, a cultura, os desafios, etc.

Mas o motivo deste post é de uma forma despretensiosa, tentar responder a uma pergunta que recebi de um amigo logo que ele soube que eu estava trabalhando aqui: “Como é trabalhar em um lugar onde tantos gostariam?”

O ponto aqui não vai ser ficar falando sobre a empresa ou como é trabalhar nela. Eu sei que o título do post te fez entender que seria algo nesta linha, mas é que na verdade esta foi a pergunta que eu recebí de um amigo assim que entrei para a empresa e que tanto me fez pensar e resolver escrever à respeito.

Imagino que mais importante do que isso é comentar sobre como eu consegui. Eu ralei duro por muitos anos perseguindo o sonho de conseguir algo assim e isso foi feito dia após dia. Eu não estou aqui contando esta história pra mostrar por aí que sou fera, incrível, ou alguém cheio de estrelinhas… longe de mim por favor. Eu compartilho esta história apenas pra mostrar que qualquer um também pode. Eu digo isso porque eu não nasci em “berço de ouro”, tive infância difícil, fui aluno de escola pública, trabalhei pra pagar minha faculdade, cursos, certificações, etc. Eu não tive nada fácil, comecei do zero e no fim contrariei as estatísticas. Por isso, QUALQUER UM…  Eu sou um “qualquer um”, mas que aprendeu a assumir riscos, desafios, responsabilidades, metas pessoais, etc, e isto fez toda a diferença.

Então eu gostaria de comentar um pouco sobre mim, minha trajetória, meus erros, acertos, minha motivação. Enfim, mostrar qual foi o meu caminho pelas pedras, a forma que funcionou pra mim. Espero que um pouco desta história sirva pra motivar pessoas e auxiliar para que de alguma forma elas possam descobrir também “como  é trabalhar onde tantos gostariam”, independentemente da empresa.

Digo isso, pois você pode trabalhar numa grande empresa ou em uma pequena start-up da sua cidade, não faz muita diferença. Você pode ajudar a tornar essa empresa um lugar onde tantos gostariam de trabalhar. O fruto do trabalho das pessoas é que define se uma empresa será ou não o local onde muitas pessoas gostariam de trabalhar. Portanto, seja você um empreendedor, um desenvolvedor de software, um comunicador, analista, gestor, enfim, trabalhar onde tantos gostariam depende unicamente de você e suas atitudes.

Preparação

Eu comecei minha carreira profissional em 2003, consegui esta vaga no final de 2015 e por isso gosto de pensar que eu estive me preparando por 12 anos para estar aqui. Hoje é bem claro pra mim o motivo de só ter conseguido algo assim 12 anos depois, mas nem sempre foi assim.

Dentro destes 12 anos enfrentei também minha primeira demissão e acredite, a primeira demissão a gente nunca esquece! Trabalhava em uma start-up incrível, fazendo parte de uma equipe sensacional e sem dúvidas, foi um dos melhores lugares onde já trabalhei. Mas a grana ficou curta, as despesas altas, e nosso time foi sendo desfeito aos poucos. Até que chegou minha vez, o último da lista de demissão da nossa equipe.

Ao longo desta trajetória eu fui muito criticado por algumas pessoas mais  próximas pelas mudanças de emprego que acabei tendo. Concordo que realmente muitas vezes isto não é bem visto, porém no meu caso nunca foi problema. Todas as minhas mudanças de emprego tiveram uma justificativa verdadeira e consistente, me permitindo explicar claramente para todos os recrutadores que conversei sem nenhuma objeção.

Hoje, depois de todos esses anos e estas experiências vejo que tudo valeu a pena. Percebo que que  a melhor parte de tudo isso é saber que por todos os lugares onde passei aprendi muito, compartilhei conhecimento, fiz amizades, orientei e motivei pessoas, trabalhei em grupos e procurei em todo o tempo, fazer meu trabalho da melhor forma possível. Eu acredito que este último ponto é muito importante, não se limitar a fazer o básico mas sim um trabalho bem executado, acima das expectativas. Lembre-se que o básico é o que a maioria faz então se você quer mais, entregue mais e melhor. Mostre seu diferencial, forneça insumos para que seus superiores tenham como argumentar à seu favor quando for preciso.

Antes de conseguir estar aqui, eu já me candidatei dezenas de vezes para outras grandes empresas. Pense em todas as grandes empresas de tecnologia da atualidade. Estas são as empresas para as quais eu já me candidatei para vagas, fui entrevistado para quase todas, cheguei a avançar no processo seletivo porém nunca conseguia ser aprovado. Confesso que por muitas vezes isso me deixou um pouco desanimado por não ter a maturidade e entendimento que o problema era minha falta de preparo.

Inclusive para a empresa onde estou hoje eu também não passei de primeira. Eu participei do processo e fui avançando, mas na última etapa acabei não sendo aprovado. Sabe quando você já está quase certo pra conseguir e não consegue? Foi exatamente assim. Então eu escrevi o post anterior à este contando esta experiência (http://www.ricardomartins.com.br/perdeu-a-tao-desejada-vaga-e-agora) e acabou que pouco menos de um mês depois recebi um novo contato me convidando para retornar ao processo, fui aprovado e agora três meses depois estou aqui escrevendo este post 😀

Hoje entendo que muitas vezes um NÃO, não quer dizer que você não seja um bom profissional, ou ainda, que não tenha capacidade para assumir determinado cargo. Este NÃO pode significar apenas um flag setado para que você se aprimore mais em alguns pontos específicos. Você pode ser muito bom em um sentido mas nem tanto em outro e o que as empresas procuram hoje é um profissional completo. Não adianta você ser tecnicamente excepcional mas que não saiba se comunicar bem, por exemplo.

O profissional que eu vejo como completo é aquele que possui seus soft-skills balanceados com seus hard-skills. O soft-skill está relacionado com inteligência emocional e determina sua capacidade de gestão de tempo e atividades, relacionamento interpessoal, capacidade de trabalho em equipe e atitudes. O hard-skill está relacionado com habilidades técnicas dentro da sua área de atuação.

O profissional completo precisa ter simplicidade para entender suas deficiências (pontos fracos) e motivação para ir em busca de formas de melhorar estes pontos. A motivação é super importante para não deixar que os “NÃOs” te façam desistir. Você precisa ver o outro lado das coisas quando receber um NÃO, entender o motivo por ter recebido e se motivar a melhorar.

Para encerrar este ponto, existe um texto bastante interessante sobre motivação que eu recomendo que você leia:http://www.administradores.com.br/mobile/artigos/empreendedorismo/as-10-caracteristicas-de-pessoas-auto-motivadas/85146/

Personal Branding

Uma vez que você já esteja preparado um outro tópico importante é este. Você precisa que seu nome seja sua marca, se fazer conhecido de modo que as pessoas tenham visibilidade sobre seu trabalho. Não sei se isso é fundamental mas no meu caso, ajudou  bastante. Eu já fazia isto por muito tempo mesmo sem ter a mínima noção do que era isso. Em 2006 eu comecei meu primeiro blog escrevendo especificamente sobre dicas de TI relacionadas com meu dia-a-dia de trabalho além de republicar artigos de outros blogs que eu visitava frequentemente. E assim nasceu o blog, sendo uma forma de:

  1. Documentar minhas atividades servindo para mim mesmo em consultas futuras;
  2. Compartilhar conhecimento e aprendizado.

Em 2008 registrei o http://www.ricardomartins.com.br, migrando pra lá todo o conteúdo do blog anterior. Muito inspirado pelo artigo Do things, write about it, continuo escrevendo sobre as coisas que faço e gosto muito disso por ser uma forma de inclusive aprender melhor, pois descobri que documentar é a melhor forma de aprender.

Outra coisa que me ajudou muito neste sentido e está muito ligada com o próximo ponto que vou comentar foi começar a palestrar em eventos. Como sempre fui bastante introvertido, falar em público nunca foi algo muito fácil pra mim. Então pensando em uma forma de melhorar este ponto eu comecei a me inscrever para palestrar em eventos, o que foi fundamental para aprimorar esta minha deficiência. Existem diversas formas de começar a melhorar seu personal branding, e pode ser criando um blog, participando de comunidades, escrevendo artigos no Linkedin, fazendo vlogs, apresentando webinars e palestras. Em paralelo, divulgue as suas atividades nas redes sociais. Tenha em mente que saber fazer bom uso das redes sociais é super importante uma vez que muitos recrutadores recorrem à elas para conhecer melhor um pouco sobre o profissional que você é.

Resumindo este ponto, o melhor currículo é uma vida online produtiva. Se você não tem uma vida online produtiva, ninguém nunca vai saber que você existe. Sem participar das comunidades, você nunca criará um networking, e acredite, os melhores empregos só existem para quem faz parte deste networking. Sabe o motivo? Na verdade é bem simples: as empresas hoje dão mais valor à indicações de funcionários quando vão fazer uma contratação. É mais seguro para a empresa contratar alguém que tenha boas referências vindas de um funcionário, afinal, um funcionário não indicaria uma pessoa que possa trazer problemas para a empresa tanto quanto para ele que indicou. Ninguém quer se prejudicar indicando uma pessoa que não atenda critérios básicos de profissionalismo, ética, comprometimento, etc. Por isso, o networking se torna algo cada vez mais importante nos dias de hoje.

Um excelente material de referência sobre personal branding você pode encontrar aqui: https://onedrive.live.com/redir?resid=841332D08ED2E07F!20317&authkey=!AO4ob5HGjPafwz8&ithint=file%2cpdf

Foco

Na área de TI, o caminho mais normal é você acabar se tornando generalista. Isso é bom porque dá uma visão maior sobre uma grande gama de tecnologias. Comigo não foi diferente pois como passei por empresas de pequeno, médio e grande portes, pude trabalhar com diversas tecnologias voltadas para todos estes tipos de empresas sejam soluções proprietárias, abertas, simples e complexas.

Em TI, todos os dias surgem novas tecnologias, ferramentas, etc, e a tendência é sairmos tentando aprender um pouco de tudo. Não que isso seja ruim, é importante estar sabendo das novidades mas não dá pra saber tudo sobre todas. Então minha dica é: escolha uma área para dar foco e procure priorizar conhecer as novidades relacionadas com seu foco.

Comigo foi assim, escolhi um foco e procurei me especializar nele, conhecer as tendências, ferramentas e tecnologias relacionados à ele. Como eu já estava trabalhando com Cloud Computing, isso acabou interferindo na minha decisão sobre o que focar, afinal, a experiência prática de trabalho no dia-a-dia diminui a curva de  aprendizado. Por isto esta é a área que eu tenho focado meus estudos desde meados de 2012.

Reconhecimento

Depois  de algum tempo trabalhando focado em determinada tecnologia, participando em comunidades, compartilhando conhecimento, participando em eventos, etc, o reconhecimento deste trabalho acaba sendo um caminho natural. Geralmente começa nos seus pares, o pessoal que trabalha junto com você diariamente, podendo se expandir para outras áreas da empresa, sua cidade, por aí vai.

As pessoas passam a querer saber o que você acha, como  você resolveria, seu ponto de vista, etc. É como se você pudesse ser meio que uma referência para elas e tudo é um reconhecimento pelo que  você produz, seja online, seja no ambiente de trabalho, seja  nas conversas entre amigos. Neste ponto é quando você percebe que seu personal branding está dando resultado e começa a colher os frutos de tudo isso.

Finalizando

Comigo, foi assim. Depois de muitos anos de preparação, um longo caminho de aprendizado e muito trabalho quando eu menos esperava surgiu a oportunidade para trabalhar com Cloud na empresa que estou hoje. Foi necessária muita preparação, um bom tempo construindo uma vida online produtiva e foco para enfim chegar ao reconhecimento.

Se eu tivesse tido acesso à estas dicas valiosas no começo da minha trajetória provavelmente teria levado menos tempo para chegar  até aqui sem ter que ir descobrindo o caminho das pedras sozinho com erros e acertos. Portanto, aproveite essas dicas e que elas sirvam como atalho para você que busca saber como é trabalhar em uma empresa onde tantos gostariam.

“Crescimento e conforto não coexistem, você tem que sempre estar fora da sua zona de conforto para estar crescendo e progredindo.” – Rodrigo Kede – Presidente da IBM Brasil.

“Descubra algo que você gosta tanto de fazer que você vai querer fazer de graça… e você nunca mais vai trabalhar na sua vida.” – Ronald Wayne – Um dos fundadores da Apple.

UPDATE 12/04/2016: Recentemente descobri os vídeos abaixo que foram feitos pelo time de recrutamento da Microsoft. Eles estão bastante relacionados com o que eu escrevi, então acredito que valha a pena você assistir e conhecer um pouco mais sobre como funciona o processo de recrutamento na Microsoft. O primeiro é bem voltado para candidatos e o segundo com muitas informações para recrutadores, porém com dicas valiosas.